Subiu para 126 o número de infetados no surto de Covid-19 na Azambuja, indicou a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, no balanço desta segunda-feira.

Destes, 121 casos positivos foram contabilizados entre trabalhadores da Sonae e os restantes cinco em outras duas empresas.

Na Sonae, foram feitos até à data 346 testes, estão a ser feitos mais, e, destes, 121 estavam positivos, sendo que 30 e poucos apresentam sintomas e apenas um está internado, estável e bem. Outras empresas fizeram testes, no total cerca de 1.000, e foram encontrados dois positivos numa e três noutra. À medida que se fazem mais testes nos setores da Sonae afetados, que não são todos, encontram-se mais alguns casos positivos", indicou.

Ainda sobre o surto de Covid-19 na região de Lisboa e Vale do Tejo, Graça Freitas anunciou que foram realizados "vários testes" em obras a decorrer na capital, havendo "trabalhadores positivos" e tendo sido "tomadas as medidas de saúde pública necessárias".

A situação de Lisboa e Vale do Tejo está a ser acompanhada com muita atenção, quer no polo da Azambuja quer em obras diversas, com pessoas que vão de um lado para o outro", sublinhou a responsável.

Portugal contabiliza 1.330 mortos por Covid-19 em 30.788 casos confirmados, segundo o último boletim diário da DGS.

Governo alerta que "desconfinar não é descontrair”

Na conferência de imprensa diária de balanço da Covid-19, o secretário de Estado da Saúde alertou, ainda, para a eventual descontração dos portugueses numa altura em que o país prossegue a sua quinzena de medidas de desconfinamento.

“Desconfinar não é descontrair, normalizar não é desresponsabilizar. Temos por isso o dever cívico de nos protegermos e de protegermos os outros. A nossa saúde continua a depender de todos”, alertou António Lacerda Sales.

O governante deu também conta de que continuam a chegar ao país os ventiladores encomendados por Portugal à China, tendo no domingo chegado 60 unidades.

Sobre o número dos testes de diagnóstico à Covid-19, Lacerda Sales indicou que se realizaram mais de 745 mil desde o dia 1 de março.

Entre 1 e 23 maio foram feitos em média cerca de 13.700 testes por dia e, neste momento, há 87 laboratórios a fazer testes de diagnóstico ao SARS-CoV-2, 37 dos quais no Serviço Nacional de Saúde, 26 nos privados e 24 em outros laboratórios que envolvem a academia, Exército e Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária.

No total de testes, 49,7% foram realizados nos laboratórios públicos, 40,2% em laboratórios privados e 15,1% em outros laboratórios, detalhou.

Catarina Machado