Diogo Serras Lopes, secretário de Estado da Saúde, anunciou esta quarta-feira que setembro foi o mês com mais casos de covid-19 em Portugal, 18.153 no total, comparando com abril, que chegou aos 16.736. Mas, apesar dos números, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, garante que "não estamos num crescimento exponencial" da pandemia, acrescentando que "todos os concelhos estão abaixo de 20 casos por 100 mil habitantes".

A diretora-geral da Saúde revelou ainda que há, neste momento, 23 surtos ativos nas escolas de Portugal continental, com 136 casos positivos, mas assinalou que "a situação está controlada". Sete dos surtos são na região Norte, três no Centro, 12 em Lisboa e Vale do Tejo e um no Algarve.

Questionada sobre a abertura de alguns parques infantis, Graça Freitas referiu que os equipamentos nem sempre são higienizados entre utilizações e que não é possível o controlo da mobilidade das crianças dentro do parque. "Continuamos a considerar que um parque infantil encerra um risco acrescido", sublinhou. 

Sobre o RT, o índice de transmissibilidade da covid-19, a diretora-geral da Saúde revelou que os valores em todo o país estão muito próximos de 1 e "indiciam apesar de tudo uma estabilidade na progressão da epidemia, com uma tendência ligeiramente crescente, mas bastante inferiores aos que já tivemos em meses passados e que se verificam atualmente noutros países".

O RT nacional está, nesta altura, em 1.09. Já em termos regionais, está em 1.18 no Norte, 1.14 no Centro, 1.02 em Lisboa e Vale do Tejo, 0.86 no Alentejo e 1.15 no Algarve.

Governo garante que aumento de casos não está a resultar em mais internamentos 

O aumento do número de casos não está a implicar, a esta data, uma utilização igual e muito menos maior, dos serviços hospitalares, tanto em enfermaria como em unidades de cuidados intensivos do que aquele a que assistimos nos meses de abril e maio deste ano”, disse ainda secretário de Estado da Saúde na conferência de imprensa regular de atualização de informação sobre a pandemia me Portugal.

Diogo Serras Lopes reiterou que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) está a preparar-se para os meses de outono e inverno e que o aumento de casos que tem vindo a verificar-se “não é exclusivo de Portugal”.

Quanto a pessoas internadas, o governante disse que atualmente estão 764 pessoas em enfermarias, enquanto em 15 de abril em circunstâncias semelhantes estavam 1.302.

Em unidades de cuidados intensivos estão internadas 104 pessoas, enquanto em 06 de abril estavam 271.

Os fatores que explicam a menor utilização de enfermarias e de cuidados intensivos num contexto de número de casos que é superior demorará, como é natural e como tantas outras questões nesta pandemia, a ser estudado”, disse Diogo Serras Lopes.

Em Portugal, morreram 2.040 pessoas dos 81.256 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Bárbara Cruz / Com Lusa