Portugal reduziu para metade a testagem à covid-19 durante o período do novo confinamento, contrariando a tendência da União Europeia (UE).

O Centro Europeu para o Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC, na sigla original) divulgou esta quinta-feira a nova lista de testagem na UE (que contempla ainda a Noruega e a Islândia) entre as semanas 3 e 6 de 2021.

Os dados analisados pela TVI24 revelam que o Governo não está a cumprir a promessa de aumentar o número de testes à covid-19. Na realidade, o número de testes tem estado a descer ao longo do último mês

Só nas últimas quatro semanas, a taxa de testagem em Portugal caiu de 4.300 testes por cada 100 mil habitantes para apenas 2.100 por 100 mil habitantes.

Estes números traduzem-se numa diferença de menos 232.751 testes à covid-19 no período de um mês.

Também a taxa de positividade baixou consideravelmente.

Parte da diminuição de testes à covid-19 em Portugal pode estar relacionada com o novo confinamento generalizado, uma vez que a grande parte da população permanece em casa.

De referir ainda que a norma que alarga a testagem ao SARS-CoV-2 a todos os contactos em Portugal, incluindo a realização de testes moleculares aos de baixo risco “no momento da identificação” do contacto, foi publicada a 12 de fevereiro pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Portugal foi o país da UE onde a testagem mais diminuiu no último mês

Comparado com os restantes países da lista do ECDC, Portugal é o país onde a testagem à covid-19 mais diminuiu.

Os dados revelam que a tendência foi de aumento da taxa de testagem na UE nas últimas quatro semanas. Mesmo nos casos onde se registou uma diminuição do número de testes, Portugal destaca-se pela negativa.

Destaque ainda para Espanha, que viu diminuir o número de testes por 100 mil habitantes de 3.641 para 2.566.

Dinamarca reforça liderança na testagem

Por outro lado, a Dinamarca parece querer vincar cada vez mais a "resposta forte e agressiva” à pandemia de covid-19. No último mês, o país aumentou a testagem para 14.035 testes por cada 100 mil habitantes. São 817.277 testes realizados só na última semana.

Os critérios para fazer testes também podem ajudar a explicar o seu elevado número na Dinamarca: uma pessoa que tenha tido um contacto de alto risco (isto é, com uma pessoa que tenha tido um teste positivo, mesmo antes de ter sintomas) deve, por norma, fazer duas vezes o teste.

No extremo oposto, a Polónia continua a ser o país da União Europeia que menos realiza testes à covid-19. Na última semana, por exemplo, registou uma taxa de testagem de 798 testes por cada 100 mil habitantes.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.430.693 mortos no mundo, resultantes de mais de 109,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 15.754 pessoas dos 792.829 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Rafaela Laja