Mais de metade dos jovens portugueses com 20 anos frequentam o ensino superior, um "aumento significativo de 25%" em relação aos números de 2015, revelou hoje o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.

Este ano marca um passo significativo naquilo que é a confiança dos portugueses no conhecimento", disse o ministro em Oliveira do Bairro, Aveiro, durante a sessão de abertura do ano escolar do Instituto de Educação e Cidadania (IEC), instituição sem fins lucrativos que tem por missão aproximar os centros de ciência das populações.

Manuel Heitor revelou que Portugal ultrapassou em 2019 uma "marca importante": mais de 50% dos jovens com 20 anos frequentam o ensino superior".

Esta subida é fruto de um esforço coletivo das pessoas e instituições", reconheceu o ministro, que espera que em 2030 seis em cada 10 jovens com 20 anos de idade frequentem o ensino superior.

O IEC foi uma das instituições que se distinguiu nesta "caminhada para o conhecimento", reconheceu o ministro.

Mais de 190 mil pessoas participaram, desde 2011, em ações de divulgação científica promovidas pele Instituto fundado pelo professor universitário jubilado Arsélio Pato Carvalho, que tem sede na vila da Mamarrosa, concelho de Oliveira do Bairro.

Com o apoio científico das Universidades de Coimbra e de Aveiro e do Parque de Ciência Biocant (Cantanhede) o IEC apresenta-se como uma escola moderna de ciências e tecnologias, com forte presença em estabelecimentos do primeiro ciclo dos concelhos de Oliveira do Bairro, Anadia, Cantanhede, Figueira da Foz e Aveiro.

No caso de Oliveira do Bairro, o IEC assegura três horas semanais de divulgação de ciência e de apoio a alunos. "A Câmara de Oliveira do Bairro está metida nisto até às orelhas, felizmente", reconhece Arsélio Pato, lembrando que todas as escolas do concelho estão dotadas de laboratórios funcionais.

O IEC funciona como um movimento social pela Ciência", reconheceu hoje a presidente da agência Ciência Viva. As duas instituições assinaram um protocolo de apoio financeiro para dois anos, com um valor de 80 mil euros, que vai permitir ao IEC contratar dois técnicos superiores que vão assegurar a concretização de diversas ações regulares de divulgação científica.