O Governo deve «dar sinais» até ao final da semana de que vai negociar o modelo de avaliação de docentes. Quem o defende é a Federação Nacional dos Sindicatos da Educação (FNE).

O secretário-geral da FNE, João Dias da Silva, afirmou à lusa, no final de uma reunião com deputados do PCP, no Parlamento, que a suspensão do actual modelo até sexta-feira seria um «ponto de partida» para o processo negocial de revisão do estatuto da carreira docente. Na sexta-feira termina o prazo para as escolas definirem o calendário do ciclo avaliativo.

«O Governo tem condições para até ao final desta semana poder dar sinais para a sociedade, para os professores e escolas no sentido de que vai acabar com esta divisão dos professores e de que vai também negociar o modelo de avaliação de desempenho», disse o dirigente sindical.

João Dias da Silva afirmou que essa atitude serviria para combater o clima de «tensão» vivido actualmente nos estabelecimentos de ensino.

«Pedimos uma reunião com carácter de urgência para debatermos as nossas perspectivas sobre as razões deste mal-estar, desta insatisfação, desta perturbação instalada nas escolas e mostrar que há formas eficientes de a ir eliminando aos poucos», explicou.

Ronda de audiências com partidos

As organizações sindicais de professores FNE e federação Nacional dos Sindicatos da Educação (FENPROF) encerram na quinta-feira a ronda de audiências com os partidos com assento parlamentar, primeiro com o CDS-PP e depois com a direcção da bancada do PS.

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, recebe às 12h a FNE e em seguida a FENPROF.O PS é o último partido a ouvir aquelas organizações sindicais. As audiências estão marcadas para quinta-feira à tarde com o presidente da bancada parlamentar, Francisco Assis.

A FENPROF também já defendeu uma «intervenção urgente» por parte da Assembleia da República que suspenda o modelo de avaliação de professores até sexta-feira.

O Bloco de Esquerda, o PEV e o PCP já entregaram iniciativas legislativas para pôr fim ao actual sistema de avaliação de desempenho dos professores. Por outro lado, o PSD já afirmou que espera pela apresentação do programa do Governo antes de avançar com alguma iniciativa. Já o CDS-PP reiterou que apresentará um diploma a propor um «modelo alternativo» de avaliação dos docentes.
Redação / RGB