Associações que representam a comunidade cigana portuguesa repudiaram esta terça-feira as declarações "racistas" de André Ventura sobre a candidatura da diplomata Ana Gomes às presidenciais e defenderam mais cidadania contra as posições do partido Chega.

Ele encontrou nos ciganos uma carta para jogar, mas está errado. Eu, como pessoa, penso que ele devia ser destituído de deputado, mas nós, na verdade, temos de agir com cidadania, porque o que ele quer é parecer uma vítima", disse à agência Lusa Olga Mariano, presidente da Associação Letras Nómadas.

O reeleito presidente do partido Chega e anunciado candidato presidencial definiu esta teça-feira a ex-diplomata Ana Gomes como “a candidata cigana”, após esta se ter apresentado como concorrente às eleições para a Presidência da República de janeiro de 2021.

Numa certa metáfora, Ana Gomes é a candidata cigana destas Presidenciais. Eu sou o português comum”, disse Ventura, em declarações à agência Lusa.

A responsável da Associação de Investigação e Dinamização das Comunidades Ciganas - Letras Nómadas - notou também que o líder do Chega tem demonstrado posições "xenófobas e racistas" reiteradamente contra os ciganos.

Para ele (André Ventura), até fomos nós os ciganos que 'trouxemos o covid' para Portugal e daí os ciganos terem de ser confinados. Eu não sei até que ponto ele pode ir dizendo as asneiras que vai dizendo. Já o mandaram calar, mas estamos num ponto em que nós, cidadãos portugueses, ciganos e não ciganos, temos de o fazer parar", afirmou Olga Mariano.

Para Dinis Abreu, presidente da CIGLEI - Associação Cigana de Leiria, a "metáfora" de André Ventura é discriminatória e, por isso, deviam ser tomadas medidas.

Do meu ponto de vista, tudo o que ele faz é racismo. Enquanto as entidades a nível nacional e da Europa não se opuserem a isto nunca vai haver sossego e o governo devia atuar contra estas atitudes. Basta haver vontade", disse o presidente da CIGLEI, sublinhando que o discurso do Chega é "um rastilho" perigoso.

 Também o diretor executivo da Obra Nacional da Pastoral dos Ciganos, Francisco Monteiro considerou as declarações do líder do Chega sobre os ciganos hipócritas e ilegais e que o Estado deve atuar contra o "discurso de ódio".

Isto é uma coisa desonesta, é uma coisa suja, reprovável e além do mais ilegal", disse Francisco Monteiro, reagindo às palavras de André Ventura sobre a candidatura presidencial de Ana Gomes.

/ BC