A EDP pediu hoje às pessoas que ainda estão sem luz por causa da tempestade Leslie para passarem a contactar a linha de apoio ao cliente, num momento em que os trabalhos de reposição focam-se em casos pontuais.

Em declarações aos jornalistas em Soure, o presidente da EDP Distribuição, João Torres, afirmou hoje que espera, até ao final do dia, passar a ter menos de 30 mil lares sem luz, referindo que a maioria das situações de falhas no fornecimento de energia concentra-se nos concelhos de Soure, Figueira da Foz e Montemor-o-Velho, no distrito de Coimbra.

“Resolvida a situação de média tensão, [o foco] deverá ser dirigido à rede de baixa tensão”, explanou o responsável, referindo que, a partir de agora, é pedido aos clientes para passarem a contactar a linha de atendimento da EDP, para se poder fazer uma “intervenção de forma mais fina”.

Ao mesmo tempo, acrescentou, foi pedido às autarquias - câmaras e juntas - para identificarem situações pontuais de falhas de alimentação que possam passar a surgir na quarta-feira, altura em que a maioria da rede de linhas de média tensão estará reposta.

Segundo João Torres, das 200 linhas que tinham ficado afetadas pela tempestade Leslie, estima-se que até ao final do dia de hoje fiquem apenas cerca de dez linhas por repor.

O presidente da EDP Distribuição acredita agora que, até ao final da semana, seja possível resolver todas as situações, para que se possa ter “um fim de semana tranquilo”.

No terreno, estão mais de 750 trabalhadores da EDP, aos quais se devem juntar funcionários da empresa em Espanha para ajudar nos trabalhos de reposição do fornecimento de luz.

“Só paramos quando acender a luz na última habitação”, vincou João Torres, sublinhando que, se no caso dos incêndios de outubro de 2017 ficaram fora de serviço 750 postos de transformação, com a tempestade Leslie foram afetados mais de quatro mil.

A reposição está a ser realizada quer através da reparação das linhas de média tensão, quer com o recurso a geradores, alguns dos quais facultados pelo Exército, que levou para o terreno 13 geradores que serão postos em funcionamento a partir de hoje, informou César Reis, comandante do regime de apoio militar de emergência.

O presidente da Câmara de Soure, Mário Jorge Nunes, mostrou-se otimista que ainda hoje 90% da população tenha a luz reposta nas suas casas.

A tempestade Leslie provocou 28 feridos ligeiros, 61 desalojados e quase 1.900 ocorrências comunicadas à Proteção Civil, de acordo com o balanço desta autoridade.

Dos 61 desalojados, 57 são do distrito de Coimbra.

94% dos consumidores afetados já têm energia elétrica

Entretanto, ao início da noite, a EDP Distribuição anunciou, através de um comunicado, que 94% dos consumidores já têm a energia elétrica restabelecida nas zonas afetadas pela tempestade, referindo que o número de consumidores sem energia se situa nos 20 mil.

“No final desta terça-feira, o número de consumidores sem energia situa-se nos 20.000, abaixo das melhores estimativas adiantadas na segunda-feira pela EDP Distribuição”, refere a empresa em comunicado.

Por causa do mau tempo, mais de 300 mil pessoas ficaram sem energia elétrica.

Segundo o documento, a recuperação da rede de média e alta tensão está a progredir “de forma positiva”, estando ainda fora de serviço 38 linhas.

“Nas situações onde se espera que esta recuperação seja mais demorada, a empresa tem instalados 100 geradores, incluindo 18 disponibilizados pelo exército e força aérea e duas centrais móveis”, acrescenta.

A EDP Distribuição considera que na quarta-feira se prevê “um dia crítico na recuperação da rede de baixa tensão”.

“Para reporte das situações de anomalia, a EDP Distribuição disponibiliza o seu Contact Center (800506506) e a sua aplicação móvel””, informa, explicando que nos municípios da Figueira da Foz, Montemor o Velho, Condeixa, Soure, Cantanhede, Mira, Mealhada e Coimbra foram criados pontos de contacto com a presença de técnicos da EDP Distribuição em instalações disponibilizadas pelas autarquias.

A empresa frisa que mantém as suas equipas “mobilizadas e fortemente empenhadas” a desenvolver todos as ações para a normalização do serviço de fornecimento de energia, deixando ainda regras de segurança.

“Quando em presença de linhas elétricas partidas ou danificadas, solicita-se o alerta pela linha de avarias e a adoção de comportamentos seguros, nomeadamente a não aproximação e toque”, conclui.

/ PP (atualizado às 20:37)