O secretário de Estado das Comunidades já se encontra em Lyon, França, onde na manhã de segunda-feira vai visitar os três portugueses feridos no despiste de um autocarro que provocou quatro mortos, todos eles emigrantes portugueses.

José Luís Carneiro disse que a visita aos três feridos – dois adultos e uma criança – será o primeiro de um conjunto de contactos que irá realizar com vista a facilitar a vida aos sobreviventes do acidente.

O despiste de um autocarro na madrugada de hoje na Estrada Nacional 79, na direção Mâcon-Moulins, num troço da RCEA (Estrada Centro Europa e Atlântico), conhecida por ser uma estrada perigosa, provocou quatro mortos, três feridos graves e 25 ligeiros, que seguiam no autocarro a caminho de Genebra, Suíça.

Na viatura seguiam 32 passageiros. Quatro morreram, três estão hospitalizados e dos restantes 25, 15 já seguiram viagem para a Suíça.

Além da visita aos feridos que se encontram hospitalizados, José Luís Carneiro vai deslocar-se ao local onde se encontram as vítimas mortais para ajudar a que os corpos possam ser libertados pelas autoridades o mais rapidamente possível e, dessa forma, as famílias poderem quanto antes realizar o seu luto.

Está ainda previsto um encontro com as autoridades francesas.

Em relação à identidade das vítimas, José Luís Carneiro confirmou que três são oriundos de Vila Nova de Foz Coa e que uma outra será da zona de Penafiel/Lousada.

O acidente, o segundo no espaço de dez meses naquela que é conhecida como estrada da morte, aconteceu às 04:30 locais (03:30 em Lisboa) com um autocarro que partiu de Portugal a caminho da Suíça e se despistou a 230 quilómetros de Genebra, o destino final.

Em abril do ano passado, na mesma estrada, mas na zona de Moulins, 12 portugueses, que viviam na Suíça, morreram quando se deslocavam a Portugal para passar a Páscoa numa carrinha de seis lugares. O condutor e o dono da carrinha acusados de homicídio involuntário agravado.