Numa análise às tendências de migração, o documento indica que “o único grupo com mais de 10.000 pessoas que tem em comum a cidadania de uma nação da União Europeia (UE) e um país de nascimento fora do bloco é o dos cidadãos portugueses nascidos na Índia”.











“São fundamentalmente razões de emigração”, atesta o cônsul-geral de Portugal em Goa, Rui Carvalho Baceira, à agência Lusa, referindo-se aos pedidos de nacionalidade portuguesa que passam pela sua jurisdição.
 

Aliás, esse é um dos motivos pelos quais a comunidade portuguesa de Goa é “muito flutuante”. “Há pessoas que adquirem a nacionalidade portuguesa e não permanecem no território. Vão depois para outros países, para a Europa, concretamente Reino Unido”.