O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, inicia esta quarta-feira a quinta jornada do Roteiro para a Ciência, agora dedicado à Matemática, uma ciência «imprescindível» no dia-a-dia.

Com o programa dividido por quarta e quinta-feira, em Évora, Lisboa e Coimbra, o chefe de Estado irá visitar centros de investigação e empresas que utilizam aplicações de Matemática para «gerar conhecimento e inovação» em áreas tão diversas como a medicina, finanças, segurança, agricultura, transportes ou sismologia.

Assim, o programa desta jornada do Roteiro para a Ciência começa pelas 09:30, na Universidade de Évora, onde Cavaco Silva irá conhecer a aplicação da Matemática na gestão de riscos, com a apresentação de projectos de avaliação de riscos em diversas áreas, nomeadamente sismologia, medicina, biologia, indústria e avaliação de riscos associados à esperança de vida e ao mercado de capitais.

De Évora, a comitiva seguirá para Lisboa, para o Instituto Superior de Agronomia, onde se irá falar sobre a aplicação da Matemática na agricultura e na gestão florestal.

Ao almoço, o Presidente da República irá reunir-se na Fundação Calouste Gulbenkian com 25 especialistas e investigadores das áreas da medicina, engenharia, economia, psicologia e sociologia, todos com «pensamento desenvolvidos na área da Matemática».

Ao início da tarde, o chefe de Estado desloca-se à Carris, em Miraflores, para conhecer a aplicação da Matemática nos transportes e na logística.

A meio da tarde, Cavaco Silva terá ainda oportunidade para regressar à sua antiga universidade, o Instituto Superior de Economia e Gestão, onde serão dados a conhecer projectos relativos ao centro de matemática aplicada à economia, bem como o «índice ISEG».

Já ao final da tarde, o primeiro dia da quinta jornada do Roteiro para as Ciências terminará no Museu da Ciência da Universidade de Lisboa, onde estão patentes exposições sobre os jogos matemáticos através dos tempos e as olimpíadas de matemática, entre outras.

Na quinta-feira, último dia desta quinta jornada do Roteiro para a Ciência, o programa estará concentrado na Universidade de Coimbra.