O cinema Quarteto, em Lisboa, foi hoje encerrado por falta de condições de segurança, sobretudo de prevenção de incêndios, disse à Lusa a inspectora-geral das Actividades Culturais, Paula Andrade.

«Falta um sistema automático de detecção de incêndios, há reposteiros de material altamente inflamável a tapar caminhos de evacuação e revestimentos de paredes e tectos em material também muito inflamável», descreveu Paula Andrade à Lusa.

A inspectora-geral das Actividades Culturais referiu igualmente que o cinema, com 33 anos, situado numa rua paralela à Avenida dos Estados Unidos da América, apresenta «muita falta de manutenção no recinto, sobretudo ao nível das instalações eléctricas».

«O encerramento durará até as anomalias serem corrigidas», garantiu Paula Andrade.

Contactado pelo Lusa, Carlos Pagará, da Associação Cine-Cultural da Amadora, que explora os cinemas, contestou a decisão, defendendo que deveria ter sido dado um prazo para regularização da situação.

«Já pedimos um orçamento para o sistema de detecção de fumo e temos a garantia da empresa de que até ao fim de Novembro estaria montado», afirmou.

A associação alega que a empresa Castello-Lopes, que explorou os cinemas até 2006, não lhes deu conhecimento da necessidade de instalarem o sistema de detecção de incêndios.

Segundo Carlos Pagará, realizou-se uma vistoria em 2002, depois da qual foi estipulado um prazo de dois anos para a instalação do sistema de detecção de incêndios.

Filipa Pagará, igualmente da associação, sublinhou que o Quarteto voltará a abrir portas «o mais depressa possíve».