A greve dos enfermeiros, a violência doméstica e a reconstrução das casas e, Pedrógão Grande foram os temas em destaque, esta sexta-feira, no Deus e o Diabo. José Eduardo Moniz falou ainda de "um país suspenso à espera de eleições".

O presidente do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (SINDEPOR), Carlos Ramalho, considera, em entrevista no Deus e o Diabo, que os enfemeiros lutam por justiça e que as associações sindicais não têm responsabilidades sobre as campanhas de angariações de fundos.

Crowdfunding foi uma forma que um movimento encontrou para fazer face aos custos pessoais com a greve", defendeu Carlos Ramalho.

Victor Reis, ex-presidente do Instituto da Habitação, garante que há 47 casos de casas que foram "reconstruídas depois do incêndio e não eram de primeira habitação".  O arquiteto garante que não houve pedidos de atestado de habitação e as mudanças de residência apresentadas "são falsas".

Passaram seis meses sem que o Governo nada fizesse sobre Pedrógão", defendeu Victor Reis.

O programa fica ainda marcado pelo testemunho real de uma vítima de violência doméstica. Helena Isabel, ex-concorrente de uma reality show, conta que foi vítima de violência doméstica e garante que está "há mais de um ano sem proteção policial".