Nuno houve tantos médicos estrangeiros a trabalhar em Portugal. Só em 2019, chegaram 4192 clínicos. A maioria vem de Espanha e Brasil.

Muitos médicos portugueses saíram para trabalhar fora do país. Lugares que ficaram vazios e que acabaram por ser ocupados por profissionais de saúde estrangeiros. Ainda assim, não são suficientes para compensar a falta de clínicos em Portugal.

Segundo os dados fornecidos pela Ordem dos Médicos ao Jornal de Notícias, desde 2009 que o número de médicos estrangeiros tem vindo a aumentar, embora com uma pequena quebra nos anos da Troika.

Em 2009 tinham entrado no país 3842 clínicos estrangeiros. Número que cresceu até 2011 e baixou gradualmente em 2014.

Nos últimos anos, este valor tem vindo a subir atingindo, em 2019, um número recorde com 4192 estrangeiros a prestarem cuidados de saúde tanto no setor público como privado. Sendo que metade trabalha no Serviço Nacional de Saúde em Hospitais e Centros de Saúde.

A maioria destes clínicos vem de Espanha e do Brasil, mas também há ucranianos, italianos, cubanos e alemães.

Do total de profissionais estrangeiros no SNS, a maioria são médicos, seguem-se os enfermeiros e os assistentes operacionais.