O Ministério Público (MP) acusou mãe, três filhas e uma neta de tráfico de estupefacientes a partir de residências do bairro social das Enguardas, em Braga, anunciou esta sexta-feira a Procuradoria-Geral Regional do Porto.

Em nota publicada na sua página, aquela procuradoria refere que no processo é também arguido o companheiro da neta.

Os factos agora levados a acusação reportam-se ao período de 2016 e 2020 e referem-se à atividade de tráfico de estupefacientes na cidade de Braga, a partir de casas de residência sitas no bairro social das Enguardas.

O MP considerou indiciado que uma arguida, acusada como reincidente, em conjunto com três filhas, todas residentes naquele bairro, procederam, a partir das suas casas, à venda de cocaína e heroína aos consumidores que para tal ali as demandavam.

Mais indiciou que, na execução destes factos, a arguida contou também com a “colaboração decisiva” de uma neta e do companheiro desta, os quais procederam à venda a consumidores como as demais.

Ao companheiro da neta caberia ainda proceder à aquisição e transporte do produto estupefaciente destinado a posterior revenda.

Outros dois arguidos estão acusados de colaborar com aqueles seis, guardando nas suas casas de residência o produto estupefaciente enquanto não era vendido.

A mãe e as três filhas estão em prisão preventiva, enquanto a neta e o companheiro estão em prisão domiciliária.

/ CE