“Nas crianças que não têm este problema há um aumento de uma substância que é a que ajuda a controlar a bexiga e nas crianças que são enuréticas esse pico não existe. Assim, a criança não consegue diferenciar o período do dia e da noite e produz muita urina durante o período noturno», afirma a pediatra, acrescentando que “a criança não tem consciência e não deve ser penalizada por isso”.



“A enurese pode e deve ser tratada, porque vai condicionar a auto-imagem, grande perturbação e ansiedade no seio da família. Podemos prevenir perturbações no desenvolvimento da personalidade da criança, ansiedade e problemas de auto-estima, depressões e outros sintomas psicológicos com o tratamento”.








Redação / SL