À medida que o novo coronavírus continua a espalhar-se por todo o mundo, com especial incidência para o aumento abrupto de casos em Itália, importa saber qual a visão das autoridades de saúde portuguesas em relação à epidemia. O delegado de saúde regional de Lisboa e Vale do Tejo, Mário Durval, mostra-se confiante nas medidas que estão a ser colocadas em prática em Portugal.

Portugal tem uma rede de autoridades de saúde como mais ninguém tem", referiu.

 

O delegado afirma que a resposta deve ser dada ao nível da saúde pública, o que também implica uma ação por parte da população. Ressalvando que ainda não existe qualquer caso de coronavírus em Portugal, Mário Durval explica o que deve ser feito pelos portugueses: "Terá de ser uma resposta de saúde pública, que é sempre na comunidade. As pessoas terão de ficar em casa e ser devidamente acompanhadas".

Vamos da a resposta necessária", acrescentou.

O profissional diz que, com a rápida propagação do vírus em Itália, torna-se mais provável que a doença chegue a Portugal.

 Até ao momento, Portugal registou 18 casos suspeitos por infeção do coronavírus, sendo que 17 deles deram resultado negativo. Existe ainda um doente à espera de análises, que está internado no Hospital São João, no Porto.

O balanço provisório da epidemia do coronavírus Covid-19 é de pelo menos 2.763 mortos e cerca de 81 mil infetados, de acordo com dados reportados por mais de 40 países e territórios.

Além de 2.717 mortos na China, onde o surto começou no final do ano passado, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França e Taiwan.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência de saúde pública de âmbito internacional e alertou para uma eventual pandemia, após um aumento repentino de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão nos últimos dias.

/ AG