O homem de 52 anos que confessou ter matado um amigo por asfixia por causa de uma dívida, em julho de 2017, em Ermesinde, Valongo, foi esta segunda-feira condenado a 18 anos de prisão.

Além disso, o homicida terá de indemnizar a mulher da vítima mortal, de 67 anos, em 62 mil euros.

Tirou a vida à vítima com frieza e determinação, sendo o seu comportamento absolutamente intolerável e profundamente condenável”, disse a presidente do coletivo de juízes do Tribunal São João Novo, no Porto.

Segundo a acusação, dada por integralmente provada, o homicida, que confessou a autoria do crime em audiência de julgamento, encontrou-se com a vítima, seu amigo, alegando que queria falar sobre uma dívida de 800 euros.

Já no interior da moradia, os dois homens discutiram e o arguido espancou a vítima com vários objetos e estrangulou-o, roubando-lhe de seguida a carteira que tinha o cartão multibanco e o código escrito num papel.

Após o crime, o arguido, em prisão preventiva, gastou dois mil euros em dois dias em diversas compras, desde roupa, relógio, telemóvel e fio em ouro.

O arguido viria a ser detido em novembro de 2017, tendo no início do julgamento confessado o crime, dizendo ter-lhe apertado o pescoço até ele ficar quieto.

Contudo, na sua versão dos factos, o homicida relatou que foi a vítima que o agrediu primeiro, tendo depois ficado fora dele e respondido à agressão.