Em Faro, os pais dos alunos da Escola Básica 2/3 Santo António nunca sabem quando os filhos têm aulas, devido à greve dos funcionários. Só quando chegam à escola é que sabem se os filhos podem entrar.

Esta terça-feira, pelo segundo dia consecutivo, a greve convocada pelo Sindicato de Todos os Professores (S.T.O.P.) obrigou ao encerramento de portas e a novas dores de cabeça aos encarregados de educação. 

A paralisação reivindica a retirada do amianto das escolas, tal como a contratação de mais funcionários não docentes.

O protesto termina apenas na sexta-feira e o funcionamento da escola depende da adesão à greve, que, até agora, tem sido expressiva ao ponto de não estarem reunidas as condições para receber os alunos, o que significa que os estudantes podem perder uma semana de aulas.

Muitos pais veem-se obrigados a levar os filhos para o local de trabalho.