Atualmente são apenas dois os países da União Europeia (UE) que mantêm as escolas fechadas para conter e controlar a propagação da covid-19. São eles: Portugal e Irlanda. 

O encerramente das creches, pré-escolar, jardins de infância, escolas e universidades foi uma das medidas mais polémicas do confinamento, por causa de tudo o que isso implica. Aulas à distância, exlusão digital, aumento de desigualdades, pais que se vêem obrigados a ficar em casa para tomar conta dos filhos e, muitas vezes, não conseguem conciliar isso com o teletrabalho, são algumas das questões mais relevantes.

Este gráfico do site da UNESCO mostra quais os países do mundo que permanecem com os estabelecimentos de ensino parcialmente abertos, fechados devido à covid-19, abertos ou em períodos de férias. 

Focando-nos apenas na UE, vemos que Portugal, Irlanda e Alemanha estão pintados a roxo. No entanto, Angela Merkel decidiu retomar as atividades letivas nas escolas e creches de 10 dos 16 estados, no dia 22 de fevereiro. Significa isto que Portugal e Irlanda são os únicos dos 27 que continuam com a escolas encerradas. 

Uma medida que afeta pouco mais de 2 milhões de alunos no nosso país e 1.289 milhões na Irlanda. 

Com base num outro gráfico, conseguimos perceber que Portugal não faz parte dos países da UE que manteve as escolas encerradas durante mais tempo (17,3 semanas). Desse grupo fazem parte a República Checa, Eslováquia, Roménia e Polónia. Já no sentido inverso, temos a Suíça, França e a Croácia. 

  • República Checa - 33,9 semanas 
  • Eslováquia - 32,7 semanas
  • Roménia - 31,9 semanas 
  • Polónia - 30,9 semanas 
  • Itália - 29,7 semanas 
  • Hungria - 29 semanas 
  • Bulgária - 28,4 semanas
  • Eslovénia - 28,1 semanas 
  • Grécia - 27,6 semanas 
  • Reino Unido - 25,9 semanas
  • Lituânia - 25,1 semanas 
  • Alemanha - 23,6 semanas
  • Irlanda - 22,1 semanas
  • Chipre - 21,1 semanas
  • Aústria - 20,6 semanas
  • Finlândia - 19,1 semanas 
  • Dinamarca - 18,7 semanas 
  • Países Baixos - 18,1 semanas
  • Portugal - 17,3 semanas
  • Malta - 16 semanas 
  • Luxemburgo - 15,9 semanas
  • Bélgica - 15,4 semanas 
  • Espanha - 15 semanas 
  • Estónia - 11,7 semanas
  • Croácia - 10 semanas 
  • França - 9,7 semanas 
  • Suíça - 6,4 semanas

A forma como foi implementado o encerramento de escolas não foi igual em todos os 27 estados membros. Um outro gráfico interativo do site Our World In Data separa por cores os países onde foi obrigatório o fecho dos estabelecimentos de ensino - como Portugal, Alemanha, Itália ou a Grécia -, aqueles em que essa medida foi exigida em apenas algumas regiões (França, Países Baixos, Irlanda) e aqueles em que foi apenas recomendado (Espanha, Bélgica, Aústria).

Vale a pena recordar que as medidas do plano de desconfinamento serão aprovadas na próxima quinta-feira em Conselho de Ministros e anunciadas ao país, no mesmo dia, por António Costa. 

Sabe-se também que esse levantamento das restrições deverá começar pelas escolas até ao primeiro ciclo (crianças até aos 10 anos) e que isso vai obrigar a uma testagem aos docentes e não docentes do ensino público, privado e social. Isto num prímeiro nível.

Num segundo nível regressariam ao ensino presencial os alunos do segundo ciclo, seguindo-se os sétimo, oitavo e nono anos e por fim os alunos do ensino secundário.

Numa terceira fase, supostamente depois da Páscoa, reabririram as universidades.

Cláudia Évora