Uma pessoa foi detida e 795 foram impedidas de entrar em Portugal desde que foi reposto o controlo temporário das fronteiras terrestre devido à pandemia de Covid-19, avançou esta quarta-feira à Lusa o SEF.

O controlo das fronteiras terrestres com Espanha está a ser feito desde as 23:00 do dia 16 de março em nove pontos de passagem autorizada, sendo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) a entidade responsável pelo controlo nestes locais, enquanto a GNR é responsável pela circulação rodoviária.

Dados enviados à agência Lusa indicam que, entre as 23:00 de 16 de março e as 23:00 de terça-feira (24 de março), foram controlados 69.695 cidadãos, 795 dos quais não foram autorizados a entrar em Portugal e um foi detido.

 Segundo o SEF, o ponto de passagem autorizado de Valença, em Viana do Castelo, foi o que mais pessoas controlou, um total de 30.906, seguido de Vila Verde da Raia, em Chaves, (11.298), Vilar Formoso, na Guarda (9.058), Caia, em Elvas (7.188), Castro Marim, em Faro (4.305), Quintanilha, em Bragança (2.552), Vila Verde de Ficalho, em Beja (2.234), Termas de Monfortinho, em Castelo Branco (1.512) e Marvão, em Portalegre (642).

O SEF frisa que a maior parte das recusas de entrada no país verificaram-se em Valença (269), Caia (182), Castro Marim (146) e Vilar Formoso (81), tendo sido feita a detenção em Vila Verde da Raia.

Aquele serviço de segurança indica que o objetivo deste controlo é vedar as deslocações de cidadãos em turismo ou lazer entre Portugal e Espanha.

Desde as 23:00 de 16 de março que está vedada a circulação rodoviária nas fronteiras terrestres, com exceção do transporte internacional de mercadorias, do transporte de trabalhadores transfronteiriços e da circulação de veículos de emergência e socorro e de serviço de urgência.

/ CE