O Ministério Público acusou, pelos crimes de homicídio qualificado e profanação de cadáver, uma mulher de 25 anos que, alegadamente, matou os dois filhos gémeos. A acusação pede pena máxima para a arguida, ou seja, 25 anos de prisão.

Os crimes ocorreram em janeiro do ano passado, quando dois recém-nascidos foram encontrados sem vida, na rua 62, em Espinho.

De acordo com Procuradoria-geral do Porto, a mulher terá ocultado uma gravidez indesejada e acabou por dar à luz sozinha na própria casa.

Os dois recém-nascidos gémeos tinham quase 36 semanas de gestação.

A acusação acredita que a mulher não prestou qualquer cuidado aos bebés, embrulhou-os e colocou-os num saco de plástico na mala do carro, com o propósito de se desfazer dos corpos.

Foi o pai da arguida quem encontrou um dos cadáveres e alertou as autoridades. À chegada ao local, a PSP detetou um segundo corpo.

Na altura da ocorrência, a TVI apurou que tanto o pai da mulher como o companheiro desconheciam que estivesse grávida.

Nuno Mandeiro