O Conselho Nacional das Ordens Profissionais (CNOP) exige o título de mestre para os alunos licenciados antes da entrada em vigor do processo de Bolonha (2006) e colocou uma petição on-line para entregar à Assembleia da República, avança a agência Lusa.

Em conferência de imprensa, em Lisboa, o presidente do CNOP, engenheiro Fernando Santos, considerou injusta a actual equiparação académica de todos os alunos, antes e depois do processo de Bolonha, que veio reduzir as licenciaturas para três anos.

«É injusto que os alunos que tiveram formação académica de cinco ou seis anos estejam equiparados aos que tiveram formação de três e isso reflecte-se no mercado de trabalho», disse.

Assim, adiantou, o CNOP decidiu colocar uma petição na Internet a solicitar à Assembleia da República que altere a respectiva portaria e que seja atribuído o grau de mestre aos licenciados antes do processo de Bolonha.

«Vamos pedir à Assembleia da República para que os antigos licenciados tenham o título de mestre e corrigir a injustiça», afirmou Fernando Santo.

Segundo o presidente da CNOP «nem os antigos licenciados eram tão burros que precisassem de cinco ou seis anos para se licenciarem, nem os actuais alunos, ainda por cima com as graves lacunas no ensino básico e secundário, sejam tão espertos que consigam obter o mesmo em metade do tempo».

Esta «confusão intencional do poder político» deve-se, no entender do CNOP, à intenção do Governo de reduzir a despesa pública e obter mais licenciados para a estatística.
Redação / SM