A Guarda Nacional Republicana (GNR) anunciou esta quinta-feira que detetou 4.585 automobilistas em excesso de velocidade durante uma operação de fiscalização rodoviária realizada de 13 a 19 de agosto.

No decorrer da operação “Viajar Sem Pressa 2020” os militares dos Destacamentos de Trânsito dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito, que estiveram especialmente atentos ao excesso de velocidade, controlaram 207.782 veículos, dos quais 4.585 em excesso de velocidade.

Segundo a GNR, o excesso de velocidade continua a constituir, em Portugal, uma das principais causas da sinistralidade rodoviária grave, seja pela diminuição do tempo de reação do condutor para fazer face a um imprevisto, seja pelo agravamento das suas consequências, em resultado da maior violência do embate.

“Importa salientar que, quando a velocidade duplica, a distância de travagem quadruplica e, em caso de acidente, a probabilidade de resultarem vítimas mortais ou feridos graves aumenta de oito a 16 vezes”, explica a força de segurança em comunicado.

Durante este período a GNR registou 1.528 acidentes, sete vítimas mortais, 27 feridos graves e 472 feridos ligeiros.

Desde 01 de janeiro até 19 de agosto, a GNR afirma ter registado uma descida dos números relativos à sinistralidade face a 2019: menos 12.321 acidente, menos 71 mortos, menos 258 feridos graves e menos 4.482 feridos ligeiros.

/ LF