A GNR desmantelou uma rede organizada internacional dedicada ao comércio ilícito de tabaco que culminou com a detenção de oito homens e a apreensão de tabaco suficiente para cerca de 11 milhões de cigarros, indicou esta sexta-feira a corporação.

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana avança que esta operação policial decorreu na quinta-feira e foi feita pela Unidade de Ação Fiscal da GNR, através do destacamento de Lisboa e sob a direção do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Mafra, em colaboração com a Guardia Civil espanhola e com o apoio operacional da EUROPOL.

A GNR precisa que da operação policial, denominada ‘Folha Ibérica’, resultou a detenção de oito homens, entre os 33 e os 49 anos e de nacionalidades portuguesa e espanhola, e na apreensão de tabaco suficiente para introduzir no consumo cerca de 11 milhões de cigarros em Portugal e Espanha.

A Guarda Nacional Republicana adianta que foram também constituídos arguidos 12 pessoas, que já se encontravam referenciados pelo crime de introdução fraudulenta no consumo qualificada, fraude fiscal e recetação de mercadoria objeto de crime aduaneiro.

Segundo esta força de segurança, este inquérito decorria há cerca de um ano e meio e tinha por objeto a investigação de uma organização criminosa internacional que se dedicava “à produção e comercialização fraudulenta de produtos de tabaco”, tendo sido possível “apurar que procediam à transformação de folha de tabaco em tabaco de corte fino e em cigarros”.

A GNR explica que era “efetuado um circuito de distribuição e comercialização marginal em território nacional e em Espanha, sustentado num complexo esquema de remessas de encomendas postais a partir de Espanha, com destino a distribuidores sediados em Portugal, orientado para a dissimulação do conteúdo e ocultação de remetentes”.

A GNR frisa que realizou esta operação com o objetivo de proceder ao desmantelamento das estruturas dedicadas à transformação de tabaco e à produção ilícita de cigarros, tendo sido dado cumprimento a 59 mandados de busca em Portugal e quatro em Espanha, das quais 32 domiciliárias e 31 em armazéns, garagens e veículos.

Das buscas, resultou a apreensão de cerca de 90.000 cigarros manufaturados, cerca de 11 toneladas de folha de tabaco e tabaco de corte fino, que daria para produzir cerca de 11 milhões de cigarros, diversas máquinas utilizadas na secagem, trituração e acondicionamento dos produtos de tabaco e matérias-primas diversas utilizadas na produção ilícita, como tubos para cigarros, cartão de maços e sacos/caixas para embalar tabaco, bem como duas viaturas ligeiras, nove quilos de marijuana, 71 doses de liamba e 67,8 doses de haxixe.

A Guarda Nacional Republicana estima que a fraude e evasão fiscal gerada pela produção e comercialização dos produtos de tabaco, proveniente de Espanha e que tinha como destino Portugal, seja valor superior a dois milhões de euros.

Esta operação envolveu cerca de 120 militares da Unidade de Ação Fiscal, da Unidade de Intervenção (UI) e dos Comandos Territoriais do Porto e de Lisboa, tendo contado ainda com o apoio da EUROPOL, com a intervenção da EUROJUST no plano da cooperação judiciária internacional, e com a colaboração da Guardia Civil e da Agência Tributária Espanhola.

Os detidos portugueses vão ser hoje presentes a primeiro interrogatório no Tribunal Judicial de Sintra, para aplicação de medidas de coação.

/ RL