Cerca de 200 pessoas foram retiradas de um hostel no centro de Lisboa, na rua Morais Soares, frequesia de Arroios, por causa de um hóspede infetado com Covid-19.

De acordo com o vereador da Proteção Civil Municipal de Lisboa, Carlos Castro, a operação de retirada “de cerca de duas centenas de pessoas teve início pelas 07:00, depois de um caso positivo ter sido detetado e que já se encontra em isolamento”.

Estas pessoas estão a ser retiradas e encaminhadas para um local onde vão ficar em isolamento e onde vão ser submetidas a testes cujos resultados chegam em cinco/seis horas”, explicou, avançando que o hostel “quando estiver completamente livre de pessoas será descontaminado”.

Os Bombeiros Sapadores de Lisboa irão proceder à descontaminação do edifício. De acordo com Carlos Castro, prevê-se que, "no final do dia, quem estiver negativo possa voltar ao hostel".

Segundo apurou a TVI, os hóspedes são refugiados, na sua maioria de África e do Médio Oriente, e fora para a mesquita central de Lisboa, onde ficarão em confinamento e serão sujeitos aos testes para despistar a doença.

Ainda segundo o vereador da Proteção Civil, encontram-se “mais de 100 pessoas a trabalhar para uma resposta rápida em articulação e complementaridade”.

De acordo com o comandante dos Bombeiros Sapadores de Lisboa, Tiago Lopes, foram mobilizadas para a operação cerca de 50 viaturas, entre Bombeiros Voluntários, Polícia, INEM e Sapadores de Lisboa.

Há tradutores que estão a ajudar as equipas de saúde para estabelecer a comunicação com os hospedes e explicar o que está a acontecer”, disse o vereador da Proteção Civil municipal, acrescentando tratarem-se de cerca de 200 pessoas “só homens”.

O responsável reiterou tratar-se de uma “intervenção muito cuidadosa” e que o caso positivo, conhecido na semana passada, se encontra “em isolamento e assintomático”.

João Paiva / JGR