O tribunal de Mirandela decretou a prisão preventiva para os dois detidos, em Mirandela, no distrito de Bragança, por exploração sexual de uma criança com 11 anos à data dos factos, informou hoje fonte judicial.

Os dois suspeitos são a mãe da criança, com 31 anos, e um homem, de 64 anos, que foram detidos, na terça-feira pela Polícia Judiciária (PJ).

As detenções foram feitas pelo departamento de Vila Real da PJ, que informou, em comunicado, que ambos são suspeitos da “presumível autoria dos crimes de lenocínio de menores”.

O crime de lenocínio é punido com pena de seis meses a cinco anos de prisão e é imputado a “quem, profissionalmente ou com intenção lucrativa, fomentar, favorecer ou facilitar o exercício por outra pessoa de prostituição”.

De acordo com a fonte, os factos terão ocorrido durante cerca de quatro anos, no período entre “meados de 2016 e finais de 2020”.

As autoridades apuraram que os alegados crimes aconteceram “em duas residências sitas em Mirandela, nas pessoas de uma criança atualmente com 15 anos de idade e sua mãe, uma mulher de 31 anos de idade”.

. / LF