Dois homens e duas mulheres com idades entre os 19 e os 38 anos foram identificados e constituídos arguidos na sexta-feira pela GNR de Braga por burlas e extorsão através da Internet, indicou este sábado aquela força militar.

Em comunicado, a GNR descreve que a investigação foi iniciada em janeiro após denúncia de um homem no Posto Territorial da Póvoa de Lanhoso, no distrito de Braga, o qual contou que “estava a ser chantageado por uma mulher que conheceu através de uma plataforma ‘online’ de encontros e era ameaçado com a divulgação de imagens de cariz íntimo trocadas entre ambos”.

A GNR acrescenta que “após diligências policiais, foi possível apurar que o modo de atuação do grupo consistia numa abordagem inicial por parte das mulheres para seduzir e levar homens a enviar imagens suas de cariz íntimo e sexual, sendo posteriormente ameaçados da divulgação destas imagens nas redes sociais e junto dos seus familiares mais próximos, caso não fizessem transferências monetárias”.

Ao longo da investigação, foi possível apurar que as vítimas chegaram a efetuar várias transferências bancárias, ascendendo ao valor de 2.500 euros.

Seguiram-se quatro buscas domiciliárias que culminaram na apreensão de cinco telemóveis, documentação e comprovativos de transferências bancárias.

Os quatro suspeitos foram constituídos arguidos e os factos foram remetidos para o Tribunal Judicial de Póvoa de Lanhoso.

A GNR de Braga destaca que a operação contou com o reforço da estrutura de investigação criminal do Comando Territorial de Lisboa e com o apoio da PSP.

No mesmo comunicado, esta força militar aproveita para alertar as pessoas que ao partilharem imagens ou vídeos íntimos de cariz sexual através das redes sociais ou aplicações, estes podem vir a ser utilizados para extorquir dinheiro em troca da sua não divulgação.

/ HCL