O homem suspeito de ter matado outro com uma arma branca na terça-feira em Beja está indiciado do crime de homicídio qualificado e vai aguardar julgamento em prisão preventiva, disse à agência Lusa o advogado.

O suspeito, de 59 anos, foi submetido a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Beja, que lhe decretou a prisão preventiva, a medida de coação mais grave, precisou o defensor nomeado do homem, José Pinela Fernandes.

Segundo o advogado, o suspeito está indiciado pela prática de um crime de homicídio qualificado e fica a aguardar julgamento no Estabelecimento Prisional de Beja.

A vítima tinha 63 anos.

Os dois homens seriam amigos e o homicídio terá sido cometido cerca das 13:30 de terça-feira na casa onde ambos viviam na cidade de Beja, adiantou à Lusa fonte da PSP, referindo que a investigação do caso está a cargo da Polícia Judiciária (PJ).

Em comunicado, o Comando Distrital de Beja da PSP referiu que deteve o homem, cerca das 15:00 de terça-feira, por suspeitas da prática do homicídio e depois de se ter apresentado voluntariamente na esquadra informando que havia matado um homem.

A PSP efetuou "de imediato" diligências policiais, que permitiram confirmar a existência da vítima mortal e apreender uma arma branca, que se suspeita ter sido usada na prática do crime.

Segundo a fonte policial, o suspeito, quando se apresentou voluntariamente na esquadra disse que tinha cometido o crime cerca de uma hora e meia antes.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) indicou à Lusa que o alerta para o homicídio com recurso a uma faca foi dado às 14:50 de terça-feira.

A fonte do CDOS adiantou que o homicídio ocorreu na Rua Ezequiel Soveral Rodrigues, na cidade de Beja, tendo sido mobilizados bombeiros da corporação local e uma viatura médica de emergência e reanimação (VMER), além da PSP, num total de 14 elementos apoiados por sete veículos.

/ AM