O Departamento de Investigação Criminal de Aveiro da Polícia Judiciária anunciou a detenção do presumível autor de 10 crimes de incêndio florestal na Mamarrosa, concelho de Oliveira do Bairro, cometidos desde o dia 8.

"Suspeita-se que o detido atuou num quadro de graves distúrbios psiquiátricos, revelando uma propensão para a repetição do comportamento incendiário, atividade que lhe proporciona alguma satisfação pessoal", revelou a PJ, em comunicado.

O homem de 28 anos, desempregado, foi detido na quarta-feira, "fora de flagrante delito", sublinha a PJ, e será ainda presente às autoridades judiciais na comarca de Aveiro, que determinarão as medidas de coação julgadas adequadas.

A PJ relata que os incêndios tiveram início junto à localidade da Mamarrosa, "através de chama direta, junto da abundante vegetação seca que se encontrava nos terrenos ardidos, propagando-se para zonas florestais constituídas por pinhal/eucaliptal e mata, pondo em perigo a extensa mancha florestal existente nos locais e em alguns casos habitações próximas".

PJ deteve suspeito de atear fogo em Fafe

Em Braga, a Polícia Judiciária deteve também um homem, fora do flagrante delito, suspeito de ter ateado um incêndio florestal em Fafe, ocorrido no dia 13 de julho, anunciou aquela força policial.

Segundo um comunicado da autoridade policial, "o incêndio foi ateado num terreno amplo essencialmente povoado por vegetação herbácea e arbustiva e inserido em zona habitacional, tendo ardido cerca de 500 metros quadrados".

O detido reside na freguesia onde terá ateado o incêndio, "sendo ainda desconhecida a motivação do arguido", acrescenta a PJ.

As diligências permitiram a recolha de elementos de prova que conduziram à detenção.

O homem será presente à autoridade judiciária para primeiro interrogatório.

/ AM