“Certificação energética ou arrendar casa vale mais do que dois filhos”, lamentou a APFN, referindo que a comparação destas medidas “evidencia um resultado incongruente e mesmo grotesco”.