Diretores alertam para a necessidade de ajudar escolas sem créditos horários







“O ministério não se pode esquecer que há muitas escolas em contextos socioeconómicos difíceis que não conseguiram atingir os patamares, mas que se esforçam e que, atendendo ao trabalho que realizam, devem ser apoiadas. Não estou a dizer que devem ser premiadas, mas sim apoiadas pelo ministério, sob pena de se aumentar ainda mais o fosso entre as escolas”, alertou o vice-presidente da ANDAEP, Filinto Lima.


“Temos uma crítica levezinha a fazer quanto ao 'timing' do ministério para dar a conhecer às escolas os créditos horários. Foi apenas a 18 de agosto, quando já tínhamos feito as turmas e contratado os professores. Mas claro que o aceitamos de braços abertos, porque, na prática, isto significa mais professores nas escolas”, disse à Lusa Filinto Lima.