Os professores iniciaram segunda-feira uma greve que se vai prolongar até quarta-feira e só incide sobre escolas onde os docentes foram convocados para serviços durante a interrupção de Carnaval.

A greve abrange todas as atividades extra marcadas para os dias 24 e 26 de fevereiro, à semelhança do que aconteceu durante as férias de Natal deste ano letivo, e de Carnaval e Páscoa do ano letivo anterior.

Segundo o sindicato, esta forma de protesto não interfere com a vida dos alunos, que não têm aulas durante estes dias.

Ao longo deste ano letivo, a Fenprof já garantiu que vai prolongar a greve às horas extraordinárias e promover protestos junto do Governo, nas localidades onde se realizem as próximas reuniões do Conselho de Ministros.

Estão também previstas concentrações regionais junto às delegações da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares.

A Fenprof avisa que o recurso à greve e a realização de uma grande manifestação nacional no terceiro período letivo será inevitável, caso a tutela continue a não ouvir os professores.

 
/ CE