Os prejuízos causados pelo tornado, que na terça-feira atingiram o distrito de Santarém deverão ascender os 12 milhões de euros. Só em Tomar as contas apontam para 9,4 milhões de euros e em Ferreira do Zêzere mais de 2,5 milhões.

O presidente da Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere estimou em 2,5 milhões de euros os prejuízos causados pelo tornado que atingiu o concelho na terça-feira.

«É uma estimativa que será muito realista», disse à Agência Lusa Jacinto Lopes, que enviou ao final do dia os dados para o Governo Civil de Santarém, que na quinta-feira serão presentes à habitual reunião do Conselho de Ministros.

Jacinto Lopes adiantou que cerca de 180 casas foram danificadas pela intempérie, mas nenhuma ficou «totalmente destruída».

O autarca esclareceu que das famílias desalojadas apenas a uma foi dada transitoriamente uma habitação, um apartamento do município, referindo que outras terão conseguido resolver a situação através de familiares e amigos.

Segundo o presidente do município, oito estruturas municipais, como as piscinas ou o cineteatro, ficaram também danificadas, a que acrescem nove armazéns agropecuários, havendo ainda sete empresas que também sofreram prejuízos.

Jacinto Lopes adiantou que estão ainda contabilizadas cerca de 120 viaturas que foram atingidas pelo tornado.

9,4 milhões em Tomar

Os prejuízos causados pelo tornado em Tomar foram contabilizados em 9,4 milhões de euros, anunciou o vereador da Protecção Civil na Câmara Municipal, Luís Ferreira.

«Trata-se de uma primeira estimativa do município, que foi feita a pedido do ministro da Administração Interna, para ser analisada em Conselho de Ministros», explicou Luís Ferreira, admitindo que «está sujeita a alterações, como qualquer estimativa, mas não andará muito longe da realidade».

Segundo Luís Ferreira, as situações particulares contabilizadas ¿ que dizem respeito a danos em habitações e viaturas - rondam os 6,5 milhões de euros.

«É importante levar em linha de conta que os danos pessoais, muito deles serão cobertos por seguros, quer ao nível das habitações, quer das viaturas», disse o autarca.

Já no âmbito empresarial, a destruição causada pelo tornado está estimada em 1,65 milhões de euros, sendo que um terço desta fatia reporta-se a apenas uma empresa, na freguesia de Casais, onde mais de 200 casas ficaram sem telhas.

Ao nível das estruturas municipais, o tornado provocou prejuízos que se cifram em 1,25 milhões de euros, acrescentou o responsável.

Os técnicos municipais, que desde terça-feira fazem o levantamento dos danos, avaliaram em 900 000 euros os estragos causados pela intempérie em vias de comunicação do concelho de Tomar.

E 6 milhões na Sertã

Os prejuízos causados pelo tornado de terça-feira no concelho da Sertã ascendem a seis milhões de euros, disse esta quinta-feira à agência Lusa o presidente da autarquia, José Nunes Farinha. A maioria dos prejuízos calculados na Sertã diz respeito à destruição de uma fábrica de recolha e gestão de resíduos com danos que podem chegar aos três milhões de euros.

O restante diz respeito a reparações nos telhados de mais de 100 habitações. «Os telhados requerem muita mão-de-obra o que encarece as obras necessárias», sublinhou o autarca, apontando para um valor médio entre 2000 e 2500 euros por casa.

Ao valor estimado, «haverá ainda que subtrair o valor das casas cobertas por seguro», situação que está a ser apurada.

Há ainda prejuízos em equipamento municipal, nomeadamente sinalização, limpeza e desobstrução de vias e espaços públicos.

São «factos que estavam a passar despercebidos e que estamos a avaliar», destacou José Farinha Nunes. Hoje decorrem ainda trabalhos de limpeza em diversos locais, mas sem vias cortadas. A electricidade e comunicações estão normalizadas.

O tornado afetou povoações em três dos 14 freguesias do concelho: Palhais, Sertã (sede de concelho) e Troviscal.



Notícia actualizada a 9/12/10 às 11:03
Redação / CP