A Guarda Nacional Republicada (GNR) inicia na sexta-feira a Operação Carnaval 2019, quee prevê mais patrulhamento e fiscalização rodoviária, com especial incidência junto aos locais dos festejos carnavalescos.

Segundo uma nota da GNR, a partir de sexta-feira e até ao próximo dia 5 de março, terça-feira de Carnaval, esta força militarizada vai intensificar o patrulhamento e a fiscalização rodoviária em todo o continente.

A fiscalização, segundo a GNR, será orientada para as vias que conduzem aos locais onde tradicionalmente ocorrem festividades carnavalescas, com o objetivo de combater a sinistralidade rodoviária, regular o trânsito e garantir o apoio a todos os utentes das vias, proporcionando-lhes uma deslocação em segurança.

Em comunicado, a GNR explica que as festividades associadas ao Carnaval provocam um aumento significativo do tráfego rodoviário em consequência das deslocações de inúmeras pessoas dos locais de residência habitual para os locais onde tradicionalmente têm lugar os festejos.

A GNR considera que este período é propício a um maior consumo de bebidas alcoólicas e/ou substâncias psicotrópicas, particularmente nos locais de diversão noturna, envolvendo, por vezes, a utilização de veículos como forma de regresso às residências.

Durante a operação, a GNR, através da Unidade Nacional de Trânsito e dos Comandos Territoriais, irá direcionar as ações de fiscalização para a deteção de condução sob a influência do álcool e de substâncias psicotrópicas, da falta de habilitação legal, de manobras perigosas, especialmente no que respeita à manobras de ultrapassagem, mudança de direção e cedência de passagem, não utilização do cinto de segurança e/ou sistemas de retenção e excesso de lotação.

A GNR refere ainda que vai fiscalizar anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização, a utilização incorreta do telemóvel durante a condução, falta de inspeção periódica e falta de seguro de responsabilidade civil.

Em 2018, durante o período de Carnaval, sete pessoas morreram e 13 ficaram feridas com gravidade e 292 tiveram ferimentos ligeiros.