A Polícia Municipal do Porto deteve em flagrante delito, numa loja da cidade, um «burlão» que se fazia passar por fiscal da autarquia, para extorquir dinheiro relativo a infrações inexistentes.

O homem, de 43 anos, fazia-se passar por fiscal da Câmara do Porto para exigir «o pagamento de montantes pecuniários pela prática de supostas infrações», escreve o Gabinete de Comunicação e Promoção da autarquia, em comunicado enviado à agência Lusa.

A detenção foi feita «na sexta-feira, em flagrante delito, num estabelecimento comercial da cidade», acrescenta o município.

A Câmara informa que já não é a primeira vez que algo do género acontece e alerta que «todos os fiscais da Câmara são portadores do respetivo documento de identificação do município».

Esse documento, acrescenta o município, deve «ser exigido nos atos de fiscalização desenvolvidos».

«Pelo facto de já não ser esta a primeira vez que esta tipologia de ilícito ocorre na cidade, a Polícia Municipal alerta a população em geral para estar atenta a este género de práticas, frisando que todos os fiscais da Câmara são portadores do respetivo documento de identificação do município, o qual deverá ser exigido nos atos de fiscalização desenvolvidos», escreve-se no comunicado a que a Lusa teve acesso.

De acordo com a Câmara, o homem «foi detido e presente a tribunal» mas desconhece, «para já», quais as medidas de coação a que foi sujeito.
Redação