O incêndio que deflagrou de madrugada em Odeleite, no concelho de Castro Marim, no Algarve, teve um reacendimento "forte" esta tarde e esperam-se horas “de muito trabalho” para os operacionais, revelou a Proteção Civil.

Pelas 18:00, de acordo com a página da Internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, estavam no local 353 operacionais, com o apoio de 120 viaturas, além de 5 meios aéreos.

Esteve dominado desde as 10:20, mas houve uma reativação forte. As condições meteorológicas não são muito favoráveis, com muito calor e o vento a fazer algumas projeções”, afirmou à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro.

Segundo a mesma fonte, a temperatura, o vento e o tipo de combustível existente no local tornavam “expectável” uma reativação e uma “rápida propagação” das chamas, que se conjugam para vir a ser uma tarde “de muito trabalho”.

A expectativa é que não seja possível uma “recuperação noturna”, já que a humidade vai manter-se “muito baixa” e a temperatura “muito alta” durante a noite, não gerando a esperada ‘janela de oportunidade’ da madrugada, acrescentou a fonte.

Vamos aproveitar durante o dia com o empenhamento dos meios aéreos, porque à noite não operam e será mais complicado”, disse.

As 14 pessoas dos lugares de Pero dos Negros, Amendoeira e Marroquil que foram retiradas das habitações, preventivamente, e deslocadas para o Centro Comunitário do Azinhal, regressarão às suas casas “assim que for possível”, também de acordo com a fonte do CDOS.

O alerta para o incêndio, que deflagrou perto da localidade de Pernadeira, na freguesia de Odeleite, concelho de Castro Marim, foi dado às 01:05.

/ Notícia atualizada às 18:10