Um homem de nacionalidade nigeriana, de 40 anos, foi detido na madrugada desta sexta-feira pela GNR na fronteira do Caia, Elvas (Portalegre), por alegada burla, através de um esquema conhecido como “Cartas da Nigéria”.

Segundo o Comando Territorial de Portalegre da GNR, o homem foi detido em flagrante delito e, após ser presente a tribunal, já saiu em liberdade, sujeito a termo de identidade e residência.

A detenção aconteceu na madrugada desta sexta-feira e foi efetuada pelo efetivo empenhado no controlo da fronteira do Caia, no âmbito da “Operação Fronteira Branca”.

O indivíduo, explicou a Guarda, alegadamente usava um esquema de burla, conhecido como “Cartas da Nigéria”, que consistia no “aliciamento para negócios rentáveis através da transferência de quantias avultadas para um ‘paraíso fiscal’”.

Os militares apreenderam 1.615 euros, uma mala e 1.520 envelopes de papel selados, contendo no interior cartas com o texto que aliciaria à burla.

No âmbito da “Operação Fronteira Branca”, por ocasião da visita do Papa a Portugal, foi reposto o controlo documental dos cidadãos nas fronteiras aéreas, marítimas e terrestres do país, desde as 00:00 de quarta-feira e até às 00:00 do próximo domingo.

Na fronteira do Caia, entre a cidade alentejana de Elvas e a espanhola de Badajoz, a GNR já anunciou ter detido, na quinta-feira, três homens de nacionalidade chinesa por alegado branqueamento de capitais, apreendendo mais de 700 mil euros no total.

Os primeiros dois chineses detidos, de 35 e 36 anos, tinham na sua posse cerca de 480 mil euros em numerário e, depois de serem presentes a tribunal, saíram em liberdade, com termo de identidade e residência.

O outro cidadão da China, de 43 anos, também ficou sujeito a termo de identidade e residência, tendo-lhe sido apreendidos pela GNR 226 mil euros em numerário