O fotojornalista Nuno André Ferreira, que trabalha na agência Lusa, conquistou o terceiro lugar na categoria ‘Spot News’ do prémio internacional de fotografia World Press Photo, com um trabalho sobre incêndios em Oliveira de Frades, foi anunciado esta quinta-feira.

A organização do World Press Photo anunciou os 45 vencedores de 28 países, selecionados entre os finalistas em várias categorias do prémio internacional de fotografia e fotojornalismo.

O prémio da Fotografia do Ano foi para uma imagem captada pelo fotógrafo dinamarquês Mads Nissen, a 5 de agosto de 2020, da brasileira Rosa Luzia Lunardi, de 85 anos, a ser abraçada pela enfermeira Adriana Silva da Costa Souza, no lar Viva Bem, em São Paulo, no Brasil.

Foi o primeiro abraço que a idosa recebeu em cinco meses, e, mesmo assim, devido à pandemia, através de uma cortina de plástico especial, transparente, que permite o contacto sem contágio.

Reportagens sobre a explosão que destruiu parte de Beirute, no Líbano, a disputa da região de Nagorno-Karabakh, os incêndios na Amazónia, migrantes africanos em Itália e uma unidade de cuidados paliativos em França eram outros temas que competiam para os prémios de fotografia World Press Photo, numa edição muito marcada pela covid-19, em trabalhos de vários dos candidatos.

A imagem de Nuno André Ferreira que esteve nomeada no concurso foi captada em setembro de 2020 e mostra, em dois planos, uma criança dentro de um carro, e ao longe o recorte das chamas num incêndio que começou em Oliveira de Frades (Viseu) e se estendeu pelos concelhos vizinhos.

Nuno André Ferreira, nascido em 1979, vive em Viseu e trabalha com a agência Lusa desde 2009, e o seu trabalho tem sido premiado, nomeadamente em 2019 quando venceu por unanimidade o Prémio Rei de Espanha de Jornalismo, com a fotografia "O Nosso Presidente Marcelo", publicada pela agência Lusa em 19 de outubro de 2017.

. / MJC