O primeiro-ministro, António Costa, informou este sábado que a “comunidade portuguesa está bem”, no âmbito das manifestações dos 'coletes amarelos' em França que, em alguns casos, resultaram em desacatos.

A indicação que temos é que a comunidade portuguesa está bem. Não há qualquer problema com a comunidade portuguesa”, garantiu o governante aos jornalistas, à margem da tomada de posse do presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, na Cidade do México, acrescentando o “acompanhamento próximo” da situação por parte da embaixada, consulado e “rede do Ministério dos Negócios Estrangeiros”.

Para o chefe de Governo, “não se deve dramatizar o que são as manifestações normais nos países democráticos”.

E são particularmente normais em países como a França, onde há cerca de 50 anos não me lembro de alguma reforma que não tenha sido acompanhada de movimentos de grandes manifestações”, acrescentou Costa aos jornalistas portugueses.

O presidente francês, Emmanuel Macron, garantiu hoje que “nunca aceitará a violência”, numa referência aos desacatos, à margem das manifestações, em Paris, dos ‘coletes amarelos’, que exigem mudanças nas políticas do país.

Nada justifica que as forças da ordem sejam atacadas, que as lojas sejam saqueadas, que os transeuntes ou os jornalistas sejam ameaçados, que o Arco do Triunfo esteja contaminado”, afirmou o chefe de Estado, em Buenos Aires, na Argentina, no final da cimeira do G20.

O primeiro-ministro, Edouard Philippe, decidiu anular a sua viagem à Polónia para a cimeira sobre o clima COP 24, devido aos desacatos violentos.

Já o ministro francês do Interior, Christophe Castaner, denunciou uma "estratégia de profissionais da desordem, de profissionais do caso", em declarações à TF1.