Os sindicatos da Frente Comum da Administração Pública reúnem-se esta segunda-feira para debater futuras formas de luta, que passam por uma manifestação nacional ou uma greve, a realizar no final de fevereiro.

A decisão deverá ser anunciada na terça-feira num plenário nacional de dirigentes e ativistas sindicais da Frente Comum, estrutura da CGTP, em Lisboa, encontro a que se seguirá um desfile para o Ministério das Finanças.

A dirigente da Frente Comum, Ana Avoila, disse na quinta-feira que a federação está a preparar "uma forma de luta em fevereiro que pode passar por uma manifestação nacional ou por uma greve", adiantando que o protesto terá lugar na penúltima ou última semana do próximo mês.

Segundo a sindicalista, a ação de luta avançará "se o Governo insistir em manter" a política salarial para a administração pública.

Em causa está a proposta do Governo para atualizar a base remuneratória da função pública, que passará de 580 euros em 2018 para 635,07 euros em 2019, montante correspondente ao quarto nível da Tabela Remuneratória Única (TRU).