A GNR resgatou hoje 39 migrantes, a nordeste da ilha de Samos, junto ao Cabo de Prasso, na Grécia, informou hoje a força de segurança num comunicado.

No decorrer de uma ação de vigilância junto à costa, foi detetada “uma embarcação suspeita no mar Egeu” que se aproximava de terra.

Através de equipamentos de visão térmica, verificou-se que se tratava de uma embarcação de borracha, na qual seguiam 39 pessoas – seis crianças, 16 mulheres, entre as quais uma grávida, e 17 homens.

A GNR, que efetuava patrulhamento marítimo, foi alertada, o que possibilitou o resgate.

“Os migrantes foram colocados na embarcação portuguesa e transportados para o Porto de Vathy, onde desembarcaram em segurança e foram entregues às autoridades locais”, lê-se no comunicado.

A GNR informa também que os migrantes provinham maioritariamente do Congo, Camarões, Senegal, Eritreia e Somália e que foi possível “identificar e deter o facilitador da travessia”.

O resgate foi realizado no âmbito da missão da Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira (FRONTEX), na qual participam, desde abril, militares portugueses que desenvolvem ações terrestres e marítimas “com a finalidade de prevenir, detetar e reprimir ilícitos relacionados com a imigração ilegal, tráfico de seres humanos e outros crimes transfronteiriços”, diz ainda o comunicado.

Desde abril, os militares da Unidade de Controlo Costeiro da GNR detetaram 280 migrantes e resgataram 92.