A creche e escola de Música que funcionam no edifício evacuado em Mirandela, no distrito de Bragança, retomam na quinta-feira a atividade normal depois de repostas as condições de segurança, informou hoje a Câmara Municipal.

O vereador da Educação, Orlando Pires, adiantou à Lusa que, depois de arejado o espaço e retiradas as três botijas de gás que estiveram na origem do problema na manhã desta quarta-feira, as entidades competentes validaram ao final da tarde que estão reunidas as condições necessárias para o uso das instalações.

Trata-se do antigo edifício onde esteve instalado o Instituto Jean Piaget, que é propriedade da Câmara Municipal, e onde funcionam atualmente a creche Nuclisol com 40 crianças e a escola de Música Esproarte.

Cerca de 100 pessoas tiveram de ser retiradas das instalações esta quarta-feira de manhã depois de ter sido acionado o plano de evacuação devido ao cheiro a gás.

No balanço do acontecimento, o vereador Orlando Pires firmou que “tudo não passou de um susto” e garantiu que “o plano implementado pela Proteção Civil, PSP, empresa de gás e comunidade escolar funcionou em pleno e a evacuação decorreu em segurança sem vítima”.

Apenas um jovem foi levado ao hospital por se ter sentido mal, alegadamente devido a um problema respiratório de que já sofria.

Além dos cursos de ensino superior, o Instituto Jean Piaget tinha em funcionamento naquele edifício um laboratório que estava agora a desmantelar e onde teve origem a fuga de gás, como indicou à Lusa a presidente da Câmara, Júlia Rodrigues, que é também a responsável pela Proteção Civil Municipal

O alerta para o incidente foi dado às 10:39 e uma hora depois a Autoridade Nacional da Proteção Civil deu como fechada a ocorrência que envolveu seis bombeiros e polícias e duas viaturas.

O equipamento do laboratório já tinha sido retirado das instalações, mas terão ficado três botijas de gás propano ativas. As obras em curso, de acordo com a autarca, terão danificado um dos tubos do gás que se propagou pelo edifício todo.

O sistema de evacuação foi acionado e as crianças do infantário foram recolhidas nas instalações da PSP, que ficam em frente do outro lado da avenida, até os pais as irem buscar.

Curiosamente, a creche Nuclisol tinha programado para a manhã de hoje um simulacro para testar as condições de segurança, contou a autarca.