A TVI revela, esta quinta-feira, documentos que comprometem as decisões de um dos principais rostos do Partido Comunista: Bernardino Soares, que é presidente da Câmara de Loures.

Deu vários contratos por ajuste direto a Jorge Bernardino, genro do secretário-geral comunista, Jerónimo de Sousa: 150.000 euros em apenas três anos. Fê-lo para funções que levantam muitas dúvidas.

Mesmo que Bernardino Soares nunca tenha respondido à TVI e tenha escondido durante mais de um mês os documentos que agora apresentamos, podemos ver que os relatórios relativos a Jorge Bernardino são totalmente diferentes daqueles que, antes dele, faziam o mesmo serviço, a empresa Cabena.

Se, antes, os relatórios eram altamente detalhados sobre todos os trabalhos, inclusive com fotografias, para comprovar a realização de tarefas, com o genro de Jerónimo de Sousa, são apenas três linhas para enumerar o que fez num mês inteiro.

Num documento interno a que a TVI teve acesso, Bernardino Soares admite que estes relatórios são insuficientes. E mais: admite que já sabia que Jorge Bernardino era genro do secretário-geral do PCP e acaba a desmentir-se a ele mesmo.

Quando foi inicialmente confrontado pela TVI, negou ter contratado o genro de Jerónimo. Agora, depois da investigação que temos vindo a revelar, dá o dito por não dito. Afinal, o contrato era mesmo em nome do genro líder do PCP e temos documentos a comprová-lo.