O escritor cabo-verdiano Germano Almeida é o vencedor do Prémio Camões 2018, foi hoje anunciado, no Hotel Tivoli, em Lisboa, após reunião do júri.

Nascido em 1945 na ilha da Boavista e a viver atualmente no Mindelo, Germano Almeida é autor de obras como "A ilha fantástica", "Os dois irmãos" e "O testamento do Sr. Napumoceno da Silva Araújo", estes dois últimos já adaptados para cinema.

Formado em Direito em Lisboa, é advogado e foi procurador da República de Cabo Verde. Deu os primeiros passos na literatura na década de 1980, numa altura em que cofundou a revista Ponto & Vírgula.

Germano Almeida, um dos autores mais lidos e traduzidos de Cabo Verde, é o segundo autor cabo-verdiano a ser distinguido com o Prémio Camões, depois de o galardão ter sido atribuído em 2009 ao poeta Arménio Vieira.

"Estou contente, muito feliz por saber que o que escrevo é apreciado ao ponto de me darem um prémio tão prestigiado como o Camões", disse Germano Almeida em declarações à agência Lusa, por telefone, a partir da sua residência, na cidade cabo-verdiana do Mindelo.

O escritor mostrou-se surpreendido com a distinção por considerar que "existem muitos escritores que merecem o prémio tanto ou mais" do que ele.

Para Germano Almeida, o segundo cabo-verdiano a receber o Prémio Camões, depois do poeta Arménio Vieira, este galardão representa "o reconhecimento do esforço e do trabalho" que vem desenvolvendo há anos como escritor.

O autor de livros como "Eva", "O Testamento do Sr. Napomuceno da Silva Araújo" ou "Do Monte Cara vê-se o Mundo" considerou ainda importante a componente financeira do prémio "para um escritor que publica em Cabo Verde e em Portugal, onde os livros são mal vendidos e os escritores dolorosamente mal pagos".

O poeta Manuel Alegre afirmou hoje à agência Lusa que o Prémio Camões 2018 para o escritor cabo-verdiano Germano Almeida é "justo e merecido".

"Acho que o prémio é justo e merecido quer para o escritor quer para Cabo Verde", disse Manuel Alegre numa curta declaração.

Manuel Alegre foi distinguido com o Prémio Camões em 2017, sendo agora sucedido pelo escritor cabo-verdiano Germano Almeida.

O primeiro-ministro português, António Costa, congratulou hoje o escritor cabo-verdiano Germano Almeida pela "merecida atribuição do Prémio Camões 2018".

O Presidente da República português também felicitou o cabo-verdiano Germano Almeida pela atribuição do Prémio Camões, através de um depoimento que assinou, colocado na sua página na internet.

Felicito o escritor Germano Almeida, vencedor do Prémio Camões 2018”, escreveu Marcelo Rebelo de Sousa.

“Advogado, foi deputado e Procurador-Geral da República. Enquanto ficcionista, tornou-se um dos mais destacados nomes da literatura africana de língua portuguesa, sendo o segundo cabo-verdiano a vencer o Prémio Camões, depois de Arménio Vieira”, salientou o Presidente.

O presidente da República de Cabo Verde também reagiu à distinção.

É uma ótima notícia para ele em primeiro lugar, para a literatura cabo-verdiana, para os escritores cabo-verdianos e para Cabo Verde. É um importante galardão literário, seguramente o mais conhecido de língua portuguesa, e termos um prémio Camões nove anos depois do primeiro é muito bom", disse Jorge Carlos Fonseca.

Lista dos distinguidos com o Prémio Camões:

1989 – Miguel Torga, Portugal

1990 – João Cabral de Melo Neto, Brasil

1991 – José Craveirinha, Moçambique

1992 – Vergílio Ferreira, Portugal

1993 – Rachel Queiroz, Brasil

1994 – Jorge Amado, Brasil

1995 – José Saramago, Portugal

1996 – Eduardo Lourenço, Portugal

1997 – Pepetela, Angola

1998 – António Cândido de Mello e Sousa, Brasil

1999 – Sophia de Mello Breyner Andresen, Portugal

2000 – Autran Dourado, Brasil

2001 – Eugénio de Andrade, Portugal

2002 - Maria Velho da Costa, Portugal

2003 – Rubem Fonseca, Brasil

2004 – Agustina Bessa-Luís, Portugal

2005 – Lygia Fagundes Telles, Brasil

2006 – José Luandino Vieira, Portugal/Angola

2007 – António Lobo Antunes, Portugal

2008 – João Ubaldo Ribeiro, Brasil

2009 – Arménio Vieira, Cabo Verde

2010 – Ferreira Gullar, Brasil

2011 – Manuel António Pina, Portugal

2012 – Dalton Trevisan, Brasil

2013 - Mia Couto, Moçambique

2014 - Alberto da Costa e Silva, Brasil

2015 - Hélia Correia, Portugal

2016 - Raduan Nassar, Brasil

2017 - Manuel Alegre, Portugal

2018 - Germano Almeida, Cabo Verde