Um homem de 63 anos ficou com pulseira eletrónica por ordem judicial após ser detido por posse de armas ilegais, violência doméstica, ameaças e perseguições à ex-companheira em Vila do Conde, distrito do Porto, revelou hoje a GNR.

Em comunicado, o Comando Territorial do Porto da GNR descreve que, numa busca domiciliária, foram apreendidas ao sexagenário “uma caçadeira, oito armas brancas, 28 cartuchos de calibre 12 e 43 munições de diversos calibres”.

A GNR esclarece que, durante a investigação sobre a violência doméstica e “crimes de ameaças e perseguições” à ex-companheira, dois anos após o fim da relação, se apurou que “o agressor poderia ter na sua posse armas ilegais”.

Por esse motivo, acrescenta, “foi dado cumprimento a um mandado de busca domiciliária” que levou à apreensão de várias armas.

“Na sequência de uma investigação pelo crime de violência doméstica, apurou-se que o agressor exercia violência física contra a vítima, de 32 anos, sua ex-companheira. Exercia ainda crimes de ameaças e perseguições, após a relação ter terminado há cerca de dois anos”, afirma a GNR.

De acordo com aquela força policial, o homem chegava a entrar na casa da vítima “sem a devida autorização”.

A detenção foi feita pelo Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas do Porto da GNR.

Num primeiro interrogatório, realizado na segunda-feira na Secção de Instrução Criminal de Matosinhos, foram aplicadas ao homem “as medidas de coação de termo de identidade e residência, afastamento e proibição de contactos com a vítima por qualquer meio e em qualquer lugar”.

A fiscalização será feita por “controlo à distância através de pulseira eletrónica”, acrescenta a GNR.