A GNR revelou em comunicado o balanço da megaoperação de quarta-feira nas localidades de Samouco e Alcochete

"No âmbito de uma operação conjunta efetuada na zona de Alcochete e do Samouco, que visou a captura ilegal de amêijoa-japonesa, foram detetadas centenas de pessoas na apanha de bivalves, sem possuírem o cartão de mariscador, documento obrigatório para habilitar a prática desta atividade. Os bivalves, por serem de uma zona em que a sua apanha está interdita foram apreendidos", refefe a GNR. 

A nota das autoridades revela que, no decorrer da operação, foram elaborados 60 autos de contraordenação e apreendido material num valor estimado superior a 80 mil euros, nomeadamente oito toneladas de amêijoa ou uma pistola marca BBM, modelo 315 auto, calibre 8mm e carregador com quatro munições de salva.

As autoridades infomaram ontem que tinham sido fiscalizadas "largas centenas" de indivíduos, tendo sido "identificados 210 de nacionalidade estrangeira, dos quais, três foram detidos por desobediência após notificação para abandono do país, 40 foram notificados para abandono voluntário do país e dois para comparecer na delegação do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras de Setúbal, a fim de regularizar a sua permanência em território nacional", informa o comunicado.

A operação contou com a intervenção dos Destacamentos Territoriais do Montijo, Almada, Palmela e do Destacamento de Intervenção de Setúbal, com o reforço do Grupo de Intervenção de Ordem Pública e do Grupo de Intervenção Cinotécnica, da Unidade de Intervenção, num total de 80 militares, e ainda com a colaboração da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, da Autoridade para as Condições no Trabalho, da Polícia Marítima, da Autoridade Veterinária do Concelho de Alcochete e do Ministério Público do Montijo, num total de 130 efetivos.

Os bivalves foram destruídos devido à possível contaminação com toxinas. 

/ BC