A GNR está a investigar o roubo de um cofre com cerca de meia tonelada das instalações da Casa do Povo de Sobreira, em Paredes, ocorrido durante a noite desta segunda-feira, disse à Lusa fonte da autoridade policial.

Segundo a GNR, os assaltantes já iam preparados para levar o cofre, que tinha no seu interior cerca de seis mil euros em dinheiro e documentação da instituição.

O alerta foi dado na manhã desta terça-feira, cerca das 7:00, por um transeunte que se apercebeu da porta arrombada, disse à Lusa António Leão, dirigente da Casa do Povo, sublinhando que os assaltantes, para entrar nas instalações, conseguiram arrombar uma porta blindada.

Tiveram um trabalho enorme e demoraram algum tempo, mas ninguém se apercebeu”, comentou.

António Leão disse que o dinheiro que se encontrava no forte, na sala da direção, era de pagamentos de patrocinadores e atletas, sublinhando que a verba vai fazer muita falta para honrar os compromissos da Casa do Povo, como “pagar a água e a luz e aos treinadores”

À Lusa, o dirigente lamentou também a situação, numa altura em que a comissão administrativa da instituição, à qual preside, procura “resgatar a casa do povo da situação difícil em que se encontra”.