Apareceu morto, esta quarta-feira, o golfinho-riscado que estava desaparecido há uma semana da Doca dos Olivais, no Parque das Nações, em Lisboa. Apareceu no mesmo local onde foi visto pela última vez.

Marina Sequeira, bióloga do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse à agência Lusa que o animal foi encontrado “esta manhã na doca”, mas não soube precisar se o cadáver já teria sido removido da Doca dos Olivais.

"Dado o estado de decomposição do animal” não irá ser feita qualquer intervenção para perceber o que poderá ter estado na origem da morte.

O golfinho-riscado arrojou na margem do rio Tejo junto ao Parque das Nações no dia 31 de março e foi depois transportado até à Doca dos Olivais, na mesma freguesia, onde foi avistado pela última vez no dia 03 de abril.

À data, Marina Sequeira, adiantou à Lusa que uma das causas para o desaparecimento poderia ter sido a morte do animal. "A indicação que temos hoje [dia 4 de abril] é que ainda ninguém o viu, não sabemos se saiu [da Doca dos Olivais] ou se já estará morto debaixo do edifício do Oceanário ou das pontes pedonais. Está programada desde ontem uma tentativa de captura, que se vai manter”.

Durante a operação de captura, no dia 4 de abril, o ICNF, a Polícia Marítima e o Centro de Reabilitação de Animais Marinhos da Gafanha da Nazaré (concelho de Ílhavo, distrito de Aveiro) concluíram que o animal “não se encontrava na Doca dos Olivais”.

Nessa mesma data, um golfinho deu à costa em Alcochete, no distrito de Setúbal, mas após autópsia foi possível confirmar que não se tratava do mesmo animal que, à data, estava dado como desaparecido.