A sinistralidade rodoviária com vítimas no Porto é o dobro da registada no concelho periférico de Gondomar, mas muito inferior à de capitais de distrito como Faro, disse esta quarta-feira o coordenador de um estudo sobre a matéria, escreve a Lusa.

Américo Pires da Costa explicou que a análise da sinistralidade por cada mil habitantes, nos últimos três anos, permite perceber que o Porto terá registado cerca de 70 por cento dos acidentes rodoviários de Faro, mas o dobro dos verificados em Gondomar.

O especialista admitiu que a diferença assinalável entre a cidade do Porto e as suas periferias se deve ao facto de a primeira ser o grande pólo de atracção das segundas.

No caso de Faro, o acréscimo poderá ser determinado por se tratar de uma cidade mais procurada no Verão por pessoas desconhecedoras da malha urbana local.

O estudo identificou no Porto uma vintena de zonas que, segundo determinado critério, são mais atreitas a acidentes, incluindo parte das avenidas da Boavista e de Fernão de Magalhães ou um nó junto ao Carvalhido.

Atropelamentos e colisões traseiras são os acidentes mais frequentes, sendo raros os despistes.

O leque de causas da sinistralidade é vasto, desde velocidades excessivas a travessia de artérias movimentadas fora das passadeiras, mas também passam por situações que podem ser corrigidas, «nomeadamente problemas de visibilidade».

«Atenção, Todos Somos Peões!»

No caso específico dos atropelamentos, o especialista citou, de memória, uma zona do Amial, contígua a uma escola, como um dos chamados «pontos de acumulação de acidentes».

As periferias das escolas são, aliás, alvo de algumas recomendações do estudo, defendendo-se que o acesso aos estabelecimentos de ensino nunca se faça a partir de vias estruturantes.

Os resultados do estudo, desenvolvido pela Direcção Municipal da Via Pública, em parceria com o Instituto da Construção da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, serão apresentados na quinta-feira à tarde, na Câmara do Porto, durante a conferência «Segurança Rodoviária no Porto», que integra o programa local da Semana da Mobilidade.

Horas antes da apresentação deste estudo, o Porto será palco do lançamento da campanha «Atenção, somos todos peões!», numa cerimónia com a presença do ministro da Administração Interna, Rui Pereira, do autarca local, Rui Rio, e do presidente do Automóvel Clube de Portugal, Carlos Barbosa.
Redação / PP