Como parte da preparação da estragégia integrada Outono/Inverno, o secretário de Estado da Saúde, Lacerda Sales, disse esta segunda-feira no habitual briefing que a Direção-Geral da Saúde (DGS) realiza sobre os números diários da pandemia em Portugal que será feito um investimento de 8,4 milhões de euros para aumentar a capacidade de testagem do país.

O governante salientou que Portugal é um dos países que mais testes realiza por 100 mil habitantes e que pretende duplicar essa capacidade, de 10 mil para 22 mil testes diários. Só no Alentejo e no Algarve, "a capacidade será superior a 400 por cento", adiantou.

A estratégia será articulada com o Instituto Ricardo Jorge, que explicou que o objetivo "não é fazer testes sem critério".

"Neste momento também é para fazer despiste à Covid-19, mas é um investimento que tem em conta os critérios e toda a capacidade de diagnóstico para outras emergências que possam vir a ocorrer e para outras patologias que possam vir a ocorrer. Não é um investimento totalmente dedicado ao diagnóstico da covid-19, é destinado também a outras patologias. Queremos que a resposta seja maior e melhor em todas as regiões do país", afirmou Fernando Almeida.

Portugal registou esta segunda-feira mais cinco mortos e 123 casos de infeção por covid-19. O secretário de Estado da Saúde adiantou que "a taxa de letalidade global é, neste momento, de 3,2 por cento e que, em pessoas acima dos 70 anos, a taxa situa-se nos 15,5%".

Na mesma conferência de imprensa, a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, fez ainda uma atualização dos números relativos aos lares em Portugal, dizendo que, no total, há 20 surtos.

Quando ao Lar São José, no Barreiro, a responsável referiu que o último reporte, do dia 20 de agosto, dá conta de 53 casos.

Já na vila alentejana de Mora, Graça Freitas confirma que se mantêm os 62 casos de infeção por covid-19.

Até ao momento, desde abril, a linha de apoio psicológico do Serviço Nacional de Saúde (SNS), já atendeu 30.500 chamadas.

Sobre a festa do Avante!, a Direção-Geral de Saúde diz que ainda nada está fechado. "É um processo de negociação. Ainda não está encerrado".

Lara Ferin